sexta-feira, 19 de outubro de 2012


Dicas de como sair do vermelho


Cortando despesas – administrando melhor o seu dinheiro


Geralmente quando as pessoas pensam em reduzir suas
 despesas ou cortar gastos com a casa, elas começam a
 se desencorajar porque pensam que deixarão de ter determinadas 
coisas ou não poderão aproveitar as coisas boas da vida. Isto 
não deve ser necessariamente verdade. Você deve pensar da
 forma correta quando toma a decisão de cortar despesas para
 lhe ajudar a alcançar seus objetivos financeiros, ou você
 abandonará o seu plano. Por isso nós gostaríamos que
 você encarasse um corte de despesas como uma coisa boa
 e que vai lhe ajudar a melhor utilizar o seu dinheiro.


Você está pronto para poupar e viver com seu novo plano de
 despesas se você pensa........

· sobre suas metas financeiras
· “eu consigo abrir mão de uma coisa que desejo muito hoje,

 com o objetivo de equilibrar minhas finanças e adquirir quando
 puder no futuro.”
· “é muito importante ter algum dinheiro para emergências”
· “eu tenho controle sobre o meu dinheiro e minhas decisões”



Você NÃO está pronto para viver com seu novo plano de 
despesas se você pensa.....

· sobre benefícios imediatos
· “eu começarei amanhã”
· “eu não consigo fazer planos para o futuro”
· “eu tenho problema com contas”
· “eu vou esperar minhas contas serem pagas”



Dicas para corte nas despesas


> Dar um basta as compras feitos por impulso ou por hábito. Evite
produtos supérfluos, que não lhe proporcionem satisfação. 

Priorize marcas menos conhecidas. Compre produtos que 
estejam na safra;

> Faça uma lista das suas prioridades de consumo, 

aproveitando o
máximo do dinheiro que você possui. Os gastos na

 farmácia também devem ser controlados;

> Tente negociar ou reduzir as grandes despesas. Você

 pode renegociar o valor do seu financiamento imobiliário 
ou de seu empréstimo bancário, ou liquidar sua dívida do 
financiamento do automóvel. Compre um carro mais simples
 ou procure andar de ônibus, metrô e até de carona com amigos
 do trabalho que moram perto de você. Deixe a vergonha de lado e,
 não se preocupe o que os outros vão pensar. Nossa experiência
 comprova, que o que mais existe, são pessoas bem vestidas e 
com carro do ano, mas que estão todas endividadas e sem perspectiva futura. 

> Tente reduzir suas despesas com aluguel 


Em muitos contratos de aluguel constam ajustes e correções
períódicas e, baseados principalmente, em índices como IGP-M ou

 IPC-Fipe.
Apesar disso, a aplicação desses percentuais de correção no

 aluguel muitas vezes são negociáveis, chegando ao ponto de 
não haver reajustes. 

Devido a elevada oferta de imóveis no mercado e a queda nas taxas de
juros paga em investimentos, os valores de aluguel estão caindo e
possibilitando aos inquilinos negociar até uma redução, mesmo antes do mês
de acerto. Portanto, se você é bom inquilino ( paga sempre em dia e cuida
bem do imóvel ) e está com orçamento apertado, sugerimos que negocie com o
proprietário do imóvel ou com a corretora.

Como negociar

Na negociação com o proprietário, para reduzir ou ter suspenso o

 reajuste do aluguel, o inquilino deve não só tomar a iniciativa, mas
 também munir-se de argumentos que justifiquem sua proposta. Para isso, é
 importante que, o inquilino pesquise os preços das locações de imóveis semelhantes ao
que mora, nos contratos firmados recentemente. Essa pesquisa fica

 mais fácil para quem mora em prédio de apartamentos, já que pode
 fazer o levantamento dos preços no próprio condomínio. Envie uma
 carta ao proprietário ou corretora solicitando ou apresentando sua
 nova proposta com prazo para a resposta. 


> Evite almoços fora com a família. 

> Seja econômico com energia elétrica e telefone. Evite o telefone celular. Só

 utilize para chamadas urgentes e para receber ligações. Controle os gastos
 com a internet.

> Faça um plano econômico e que atenda suas necessidades na TV a Cabo;

> Se a compra é imprescindível não faça financiamento. Compre à vista e peça

 desconto. Se não cabe no seu orçamento, não compre. Procure alternativas 
criativas ou recorra a cortes de outras despesas para compensar essa nova. 

> Reduza a quantidade de cartões de crédito; você estará reduzindo o valor pago

 nas anuidades; não é necessário ter uma infinidade deles; escolha um, no máximo dois,
 de preferência com programas de afinidades adequadas ao seu perfil (milhas em viagens,
 descontos, etc)

> Não deixe de ir as reuniões de condomínio, pois medidas que encarecem o condomínio

 podem estar sendo aprovadas.

> Faça um levantamento de todas as suas despesas com tarifas e taxas bancárias

 e promova um corte radical. Em média, um correntista gasta R$ 250,00 por ano;

> Se você possui uma dívida de cheque especial, contrate um empréstimo pessoal,

 e assim estará trocando uma taxa mensal média de 8% por 4%. Você também pode
 negociar com seu credor. 


Mesmo endividado, você deve traçar metas; assim que liquidar uma dívida, comece

 a poupar para um determinado objetivo

“ Abra mão de uma coisa que deseja muito hoje, com o objetivo de equilibrar suas

 finanças e poder adquirir aquilo que quer no futuro”

Fonte: Financer.com

Pesquisar este blog