quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Recuperação Escolar - E agora??



Ok, teve o ano todo para ir bem e não deu, os motivos são variados, discutir  agora não vai adiantar muito, talvez sirva somente para o ano que vem para você ficar atento.

Segue algumas dicas para enfrentarem este problema:
  • Acompanhe este momento;
  • Motivá lo a se esforçar;
  • Seja o aliado dele para ajudar;
  • Organize a agenda de estudos;
  • Procure os professores para ter orientações;
  • Acompanhe  a realização das tarefas;
  • Se necessário contrate um professor;
  • Para manter o foco, limite horários para TV, Vídeo Game, Internet,etc., lembre -o que não é castigo , mas sim foco no objetivo;
  • Crie um grupo de estudos, assim é possível compartilhar dificuldades, e sempre alguém é melhor em uma matéria e outro em outra;

Para não haver surpresas no próximo ano, fique atento!!

Passada a recuperação, é momento de refletir sobre o papel dos três implicados: o aluno, a família e a escola. No processo de aprendizagem, eles precisam trabalhar em sinergia e tanto a aprovação como o insucesso têm uma parcela de cada um.

No caso do estudante, os pais precisam conversar para saber o que houve. Os motivos foram ligados à atitude pessoal, como falta de estudo, brincadeira em excesso, desorganização? O problema ocorreu em várias matérias, ou numa em especial? Como pensa evitar isso no futuro?

A família também precisa se questionar. A recuperação foi uma surpresa, ou já estavam prevendo? O mau desempenho vai sendo construído aos poucos, não é algo que se descobre de repente. Pode ser que os pais não estejam acompanhando os estudos. E pode haver outras coisas implicadas, como problemas de relacionamento na turma, conflitos familiares, algum distúrbio de aprendizagem, ou outro problema que a família ainda desconheça.

Por fim, cabe um questionamento à escola. Quando um aluno não aprende no tempo previsto, o colégio deve refletir se cuidou de cada um, de forma personalizada. Não adianta andar com a matéria se um grupo não aprendeu.

Além disso, a escola precisa verificar se há muitos alunos na mesma situação. Será que o nível de exigência está alto demais para a idade? O método das aulas funciona? Há algum problema com a turma – por exemplo, o “grupinho da bagunça” impede os outros de aprender, ou há um conflito entre os estudantes?

Vale lembrar que a recuperação do final de ano não resolve tudo. O que funciona é a recuperação paralela, com classes de reforço, ou atividades na própria aula. Esse método é bem mais eficaz, pois resolve as lacunas de aprendizagem ao longo do ano. Por isso, é adotado pelas melhores escolas. Afinal, o objetivo da educação não é “passar de ano”; o que importa mesmo é garantir que todos os estudantes aprendam de verdade.

*Foto: Aula em escola da Zona Oeste de São Paulo (Caio Kenji/ G1)


Adriani Gonçalves

Pesquisar este blog