quinta-feira, 4 de junho de 2015

Quando é a hora de ser Mãe??



Há um bom tempo atrás, esta pergunta era  respondida com muito mais rapidez, afinal os planos femininos incluíam ser mãe jovem, casar cedo, cuidar da casa e ter filhos. Pronto.
Mas, e agora?? Que tudo se inverteu, onde a mulher precisa se realizar profissionalmente, ter a estabilidade financeira, estabilidade emocional e tudo isso em tempo que o seu relógio biológico não comece a mandar alertas (está na hora..), e no momento que você esteja contente com tudo.
Ter tudo sobre controle, manter-se focada  nas metas, parece fácil, mas não é. A mulher sempre vai ter algo mais a buscar, está luta constante em algo que esta faltando. Talvez a pós graduação, aumentar seu negócio, buscar aquela promoção. Mas quando você acredita ter feito tudo que é necessário para dar a atenção para a maternidade, você pensa " Vou curtir um pouco antes de ser mãe", vou viajar, ir a mais festas, ler  mais, etc.
"Ainda não estou pronta para ser mãe".

Quer saber, nunca estaremos prontas, sempre haverão dúvidas, sempre haverão coisas  por fazer, antes de assumir tal responsabilidade.
A maturidade em ser mãe só acontece quando realmente estamos dispostas a assumir riscos.

Comigo aconteceu assim: Decidi que em setembro de 1993 iria engravidar e ter uma menina para chamar de Laura, simples assim e foi o que aconteceu. Em Junho de 1994 nasceu a Laura, objetivo concluído. 
Masssssssssss....
As dificuldades foram inúmeras, sem estabilidade financeira, emocional, experiência alguma e as coisas foram se complicando. Fui errando e acertando, nem sempre na mesma ordem, mas em momento algum me arrependi, pois era minha vontade e assumi o risco de errar e acertar.
Uma das coisas que percebi na maternidade é a força que vem não sei de onde para superar as dificuldades. Quando não sabia o que fazer, era só olhar para a Laura, que eu teria a certeza que resolveria e ainda é assim.
Aprendi a ser forte e que viver no momento presente faz toda a diferença para o aprendizado.
Se eu aconselho alguém a fazer o mesmo, NÃO, mas se quiser fazer FAÇA.
Me culpei muito por ter sido imprudente, mas hoje não me questiono tanto se sou boa ou uma mãe má.
Sou MÃE, e isso já é o suficiente para saber que fiz a escolha certa.
Você saberá, acredite.





Adriani Gonçalves




Pesquisar este blog