quinta-feira, 28 de maio de 2015

Organizando Prioridades Financeiras




 Organizar suas prioridades financeiras


SE VOCÊ TEM DÍVIDAS:


Foque em quitá-las:

Se você está endividado, sua primeira prioridade financeira deve ser quitá-las. Se conseguir pagar à vista, é preferível para conseguir um bom desconto nos juros. Se não, faça uma contraproposta aos credores para conseguir parcelas que caibam no seu orçamento.

Concentre os vencimentos das parcelas no início do mês:

Assim, logo que seu salário cai, você já separa o valor necessário para pagar as dívidas antes mesmo de pensar em gastar com outra coisa.


 Poupe o que for possível:

Tudo bem que o ideal é guardar 15% da sua renda, mas se você está endividado dificilmente você conseguirá reservar esse valor para a poupança neste momento. O segredo então é poupar o que for possível até você conseguir se reestruturar: R$ 5 ou R$ 10, não importa. A grande sacada aqui é criar o hábito de poupar.


SE VOCÊ NÃO TEM DÍVIDAS:


 Crie uma meta de poupança mensal:

Sem dívidas, você deve poupar pelo menos 15% da sua renda todos os meses. Sem desculpas. Se achar difícil guardar, por exemplo, R$ 600 por mês, divida a meta por semana (R$ 150) ou até dia (R$ 20).


 Encare a poupança mensal como mais uma de suas despesas:

No dia em que seu salário cair, já mande para a poupança o valor que você se propôs a guardar. Imagine que sua poupança mensal é mais uma conta que tem vencimento e não pode deixar de ser paga.


 A cada compra não planejada, mande 10% para a poupança:

Uma boa forma de controlar os gastos não planejados é se propor a mandar 10% do valor que você gastar para poupança. Quer comprar um tênis de R$ 300? Então, você precisa ter R$ 330 na conta: R$ 300 para a compra e R$ 30 para a poupança. Assim vai ficar mais fácil se controlar.


 Recebeu um dinheiro extra? Guarde!

Créditos da nota fiscal paulista, restituição do imposto de renda e até 13º salário são recursos com os quais não contamos (ou não deveríamos contar) no dia-a-dia. Logo, não precisamos deles para nos manter. Assim que eles entrarem na conta, mande-os direto para poupança para não ter tempo de arrumar um pretexto para gastá-los.


 Crie uma reserva de emergência:

Seu primeiro objetivo financeiro deve ser criar um fundo de emergência para se prevenir contra as adversidades da vida. Seguindo as quatro dicas anteriores, você conseguirá juntar esse dinheiro mais rápido do que você imagina e estará pronto para galgar metas financeiras maiores.

Adriani Gonçalves
Fonte Guia Bolso

Pesquisar este blog