sábado, 25 de abril de 2015

As Consequências da Bagunça!!



Papéis espalhados, pilhas de revistas e jornais, roupas amarrotadas no armário, gavetas cheias de cacarecos..e na geladeira, mantimentos vencidos, coisas jogadas das prateleiras ao chão...
Uma casa nem sempre costuma ter a aparência digna de uma vitrine de loja de decoração. Principalmente se crianças ou animais de estimação estiverem entre os habitantes. Um pouco de desordem é até certo ponto, natural pois mostra que há vida naquele lugar. Porém, uma casa bagunçada além da conta pode trazer consequências bem mais indesejáveis aos moradores do que objetos atravancando passagens e atrapalhando o conforto.
Os problemas não param por aí, pois o ambiente diz muito a respeito das pessoas e suas necessidades. 
A bagunça pode comprometer a qualidade de vida de várias maneiras. Um dos exemplos clássicos, é o de a pessoa não encontrar as chaves, gerando atrasos e mau humor. Porém, existem os casos mais graves, como a perda de documentos e pagamentos em atraso. A desorganização de qualquer tipo rouba um bem precioso do ser humano, que é o tempo.
É comum pessoas desorganizadas reclamarem da vida como um todo já que o principal tipo de comprometimento é não conseguir priorizar o dia de forma eficiente, acumulando afazeres de forma desordenada. Com isso, o dia passa a ser improdutivo, pois junto pode haver a mania de adiar a arrumação, nem que seja da mesa, por exemplo, para que o dia renda.
NECESSIDADE DE MUDANÇA
Muitas vezes, a pessoa quer mudar e colocar tudo nos trilhos, mas nem sempre consegue. E essa resistência à organização pode revelar aspectos que a pessoa não consegue lidar de maneira consciente, como o medo de se dar conta de rombos financeiros ao organizar as contas, se recusar a jogar fora ou doar coisas porque não quer dar adeus ao passado, relutância em seguir em frente e aceitar que a vida e ela mesma mudaram etc.
E podem ser muitos os fatores emocionais por trás da bagunça, como ansiedade, depressão, apego, dificuldade de lidar com uma realidade que desperte frustração.
Algumas pessoas, por outro lado, não veem sentido em se organizar, pois convivem bem com a bagunça, e a bagunça pode ser sintoma das mais variadas personalidades ou quadros psicopatológicos, de neuroses a psicoses. É difícil delimitar onde termina a desorganização e começa a organização, pois cada um vive a seu modo, mas é importante prestar atenção em como a pessoa se sente em relação à maneira como vive.
E como não existe um padrão para definir o desorganizado. É necessário compreender qual é o benefício da bagunça em sua vida. Confronte o que vem incomodando: um emprego chato, daí os atrasos constantes; a falta de autoestima que se reflete na aparência da casa; a ausência de objetivos que justifiquem uma vida mais regrada.
A bagunça é aceitável quando não atrapalha a vida do indivíduo. Muitas pessoas convivem favoravelmente com ambientes bagunçados, sem que isso interfira no trabalho, bem-estar, nos relacionamentos ou na vida social. 
"Mas quando a desordem passa a atingir negativamente esses aspectos da vida, é hora de mudar."

Adriani Gonçalves

FonteUOL

Pesquisar este blog