sexta-feira, 7 de novembro de 2014


o-BUSINESS-WOMEN-facebook



Empregador X Empregada doméstica



A grande maioria das famílias tem, precisa ou quer ter  empregada doméstica.
Está aí uma relação complexa e difícil.
Quem tem não está satisfeita com alguma coisa, quem quer não encontra, e quem quer ter não tem certeza se vai conseguir alguém que supra suas expectativas. Nas minhas experiências com treinamentos de empregadas assisto uma batalha de ambos os lados.
As maiores queixas são:
EMPREGADOR  X  EMPREGADA
  • Não é proativa.
  • Não é pontual.
  • Não é organizada.
  • É desastrada.
  • É desinteressada.
  • Não executa bem tarefas (limpar/lavar/passar/cozinhar), em alguma dessas tarefas ela é falha.
  • Desperdiça (alimentos/produtos de limpeza).
  • Não obedece ( chamo de SP – Síndrome de Patroa, quando acha que quem manda é ela).
  • Sempre arruma desculpa por não ter feito algo, (não tive tempo, faltou algo, etc.).
EMPREGADA X EMPREGADOR
  • Meu patrão é bipolar (ouço muito).
  • Não sabe fazer nada e quer mandar.
  • É desorganizada.
  • Não consigo limpar, porque esta tudo desorganizado.
  • Não compra os produtos de limpeza que preciso ou quero.
  • Tenho que perguntar tudo, pois não me passou nada.
  • Ganho pouco.
A lista é grande. Conseguiram se identificaram com algumas dessas queixas?
Esta batalha pode parecer difícil de vencer, mas pode sim ser evitada com algumas regras.
Se o treinamento será feito por você siga estas dicas:
  • Na contratação, pergunte sempre quais os pontos fracos dela, assim ficará mais fácil saber se vale a pena contratar, porque se você precisa de uma pessoa que cozinhe e ela não sabe cozinhar, não há lógica em contratar, mas se ela não sabe criar um cardápio e você acredita que é possível adaptar e ensinar, tudo bem.
  • Comunicação. Deixe claro na contratação os serviços que ela terá que fazer ( lavar,passar, cozinhar, organizar, limpar,passear com os animais,etc.), não deixe lacunas, para depois não ouvir “Não disse que teria que fazer isso”.
  • Deixe claro as regras da casa em relação à: postura, atendimento a familiares, prestadores de serviços, telefone, segurança, uso de uniforme, higiene e limpeza, etc.
  • Estipule a carga horária de trabalho.
  • Defina a rotina da casa.
  • Crie um checklist de tarefas domésticas: diárias, semanais, quinzenais e mensais.
  • Mostre o que tem que ser feito, e como fazer ou como gostaria que ficasse.
Estas dicas já ajudam como uma base para treinar sua empregada.
A tarefa não é fácil, nos treinamentos deixo sempre claro que a casa é uma empresa onde a empregada é a administradora, e ela precisa fazer com que tudo funcione em completa sintonia, e que no final do expediente o resultado final tem que ser o melhor. Que a comunicação é o fator mais importante nesta relação, não deixe nunca de falar algo que incomode,  para não criar mágoas. Como em uma empresa também é necessário estimular sua empregada, elogiando o que ela fez de bom, eu criei uma ficha de avaliação, dica de uma cliente, que é assim:
A cada um mês, dois meses ou três meses, a empregada preenche uma ficha de avaliação na qual ela tem que dar uma nota para si mesma sobre os serviços da casa e você também preenche dando notas pelo desempenho dela.
Ex.: Completou diariamente as tarefas ( ) nota de 01 à 05
Passou as roupas conforme a exigência do empregador ( ) nota 01 à 05
Após o preenchimento vocês fazem uma reunião avaliando as notas e passando um feedback, para assim poderem juntas poder melhorar o que não esta bom.
E pela performance bonifique a, o prêmio pode ser em dinheiro, cesta básica, etc, não importa, mas dê algo que mostre que você valoriza o trabalho dela, assim ela se manterá motivada a trabalhar melhor.
Lembre se ambas as partes precisam umas das outras, por motivos diferentes, mas podem trabalhar em sintonia.
“Ninguém precisa ganhar esta batalha, podem sim vencerem juntas o mesmo objetivo”.

Coluna Jogo de Damas
http://www.jogodedamas.me/empregador-x-empregada-domestica/

Pesquisar este blog