domingo, 26 de janeiro de 2014

FELINOS!!



Tire suas dúvidas sobre alguns problemas com seus 
PETS FELINOS::

Adotar outro felino, como fazer para não brigarem:



Nos primeiros contatos, mantenha o recém chegado numa caixa de transporte à qual ele esteja acostumado. Se o veterano se aproximar demais ou parecer prestes a atacar, borrife água nele com um spray. Durante esse exercício, que pode ser feito várias vezes ao dia, proporcione momentos agradáveis a ambos. Um ótimo truque é oferecer petiscos saborosos. Se aceitarem, brinque e faça carinho nos dois. Logo, eles associarão boas lembranças à presença um do outro. Quando você perceber que já estão se alimentando próximos e calmamente, é hora de liberá-los. Mas atenção: só deixe os bichanos sozinhos depois de um bom tempo de convivência juntos e sem brigas.

Parar de arranhar tecidos e móveis: 

Eles arranham para brincar, afiar as garras e se comunicar. Em vez de eliminar esse hábito, disponibilize locais, como arranhadores, em que ele possa exibir seu comportamento sem fazer estragos. Vale tornar a área que ele unha desagradável com fitas adesivas duplaface. Outro truque é espirrar água na cara do bichano na hora da ação. Se nada disso adiantar, coloque ao redor do sofá um fio de náilon amarrado a um objeto barulhento, como uma tampa de panela. Ele levará um pequeno susto sempre que atacar a peça e desistirá com o tempo. Para garantir a eficácia do processo, ofereça um arranhador e agrade-o quando estiver agindo certo. Há quem diga que o dono pode até arranhar um pouco para que o gato aprenda por observação. 

Não ficar agressivo quando vai ao veterinário:




Seu gato já relaciona a movimentação de saída à lembrança da clínica, território fora de seu controle. Só o fato de ser colocado na caixa de transporte é capaz de deixá-lo arisco. Acostume-o a esse processo aos poucos: comece a alimentá-lo dentro da caixa e dê petiscos sempre que ele entrar ali sozinho. Depois, encene a saída para a consulta e quando o bichano estiver na caixa, passe a oferecer a guloseima com a porta fechada. Na próxima etapa, ande com ele dentro da caixa e recompense-o. Outra dica: associe espaços novos a algo bom, oferecendo o que ele gosta de comer em lugares fora de casa.

Não estranhar a mudança da casa:


Diante de um lugar desconhecido, o gato se sente assustado e, por isso, pode fugir ou ficar agressivo. Para evitar o problema, o truque é prendê-lo em um único cômodo. Só depois que estiver adaptado a esse espaço, deve ter acesso ao resto da casa. Prepare o ambiente com todos os acessórios, da ração ao arranhador, e posicione a cama e as vasilhas de água e de comida do lado oposto ao da caixa de areia. O gato deve permanecer nesse local até voltar a se comportar normalmente: deixar o dono fazer carinho, brincar, comer e dormir bem. Lembre-se de que o local provisório tem de continuar acessível, caso o bichano fique inseguro. 

Como deixá - lo mais amigável a visitas:




O truque é associar a presença das pessoas a algo que o gato adora. Encha-o de carinhos e dê um petisco sempre que uma visita chegar. Guarde a guloseima mais gostosa para essas ocasiões e, no início, ofereça-a bem de seu esconderijo e deixe-o comer tranqüilamente. Assim que virar um costume, ponha o alimento um pouco mais afastado, estimulando o felino a sair parcialmente do local. Aos poucos,coloque os pedaços de petiscos mais perto das visitas. Com o tempo, o bichano pedirá o alimento toda vez que chegar alguém. No começo, peça para a visita não se aproximar do gato e procurar ignorá-lo totalmente. Qualquer movimento que pareça assustador, ou mesmo a tentativa de agarrar o bichano, pode colocar tudo a perder. 




Como mantê-lo em casa sem estressá-lo:

 Gatos são curiosos e os mais ativos adoram explorar territórios diferentes e procurar parceiros fora. Esse comportamento é amenizado com a castração. Mas é importante oferecer uma contrapartida. Faça adaptações em sua casa para que ele possa manifestar seus instintos. Exemplos: permita que ele tenha passagem livre em pelo menos dois cômodos e crie esconderijos e obstáculos estimulantes, como prateleiras na parede. Arranhadores e brinquedos aqui e ali também tornam o ambiente atraente, proporcionando uma vida mais saudável e feliz para seu amigo.




Gatos que brigam demais. Como resolver isso? 

Às vezes, por instinto, os gatos entram em pé de guerra e disputam alimento e espaço. Quando a briga começa, é melhor separar os bichanos e reaproximá-los aos poucos. Para deixar os dois juntos outra vez, coloque o menos corajoso dentro de uma caixa de transporte e repreenda qualquer intenção de ataque do mais agressivo com um spray de água. Durante esse processo, que pode durar semanas, solte os felinos apenas quando eles conseguirem se alimentar no mesmo espaço. Só os deixe sozinhos depois de ficarem juntos várias vezes sem brigas.Truque infalível: sirva guloseimas apetitosas e associe o treino a momentos de prazer.



Gato costuma usar a casa dos vizinhos como banheiro:

O ideal é evitar que o gato vá à casa do vizinho. Assim você corre menos risco de que ele seja atacado por um cão ou até envenenado. Para isso, coloque telas nas janelas de sua casa. Se puder contar com a ajuda do vizinho, há dois bons truques. Peça a ele que borrife água no gato no momento em que ele estiver cometendo o delito. Mas, se o alvo do bichano for um jardim, a saída é colocar telas de arame encostadas na grama ou na terra dos vasos de plantas. Isso o impedirá de cavar para esconder os excrementose ele rapidamente perderá o hábito de usar o local. Atenção: o gato também pode urinar ou defecar como forma de demarcar o território. Nesse caso, o mais indicado é a castração.




Gravidez:

Quais medidas deve-se  tomar para que ele não estranhe o bebê? 

O melhor caminho é implementar mudanças na rotina antes da chegada do bebê, já que a maioria dos gatos fica estressada com alterações repentinas no cotidiano e desconhecidos. Por isso, habitue seu bichano gradualmente. Por exemplo: se não quiser que ele entre no quarto da criança, proíba o acesso desde já. Após o nascimento, procure associar os momentos de convívio entre os dois a coisas prazerosas para o felino, oferecendo petiscos e carinho. É um truque que pode ser praticado não apenas por você como também por quem estiver por perto. Aos poucos, seu gato vai passar a adorar a companhia do novo membro da família.


O gato bagunça os vasos de plantas. Como evitar esse comportamento? 

O gato age assim com a intenção de mastigar as folhas, cavar para fazer suas necessidades ou apenas brincar. Uma saída é redirecionar esse comportamento. Ofereça a ele brinquedos e disponibilize caixas higiênicas em vários cantos da casa – experimente diferentes locais e materiais para descobrir os que mais agradam. Se possível, tire as plantas de onde ele prefere ficar. Para conter a bagunça, borrife água no focinho no momento exato da ação. Proteger a terra do vaso com uma tela de arame também funciona. Outra dica é espirrar na vegetação produtos de sabor amargo, vendidos em petshops. Mas lembre-se de testar o líquido em um galho, pois ele pode ser nocivo à espécie .

O gato se lambe compulsivamente e arranca os próprios pelos sempre que você limpa a casa ou muda os móveis de lugar. Por que ele faz isso? 

Gatos são obcecados por controle de território. Os mais estressados podem ficar desesperados quando a configuração do lugar onde vivem é alterada, mesmo que provisoriamente. E esse estresse desencadeia comportamentos compulsivos. Por isso, os felinos sensíveis devem ganhar um canto em que possam ficar durante a limpeza dos outros locais da casa. Outra saída é recorrer aos feromônios, odores artificiais calmantes, vendidos em petshops. Dica: depois de uma faxina, brinque com o felino em cima do tapete ou esfregue as suas mãos nos objetos e móveis da casa. Isso ajuda o gato a não estranhar o que foi limpo.


O gato mia e arranha a porta do  quarto de madrugada, insistindo para entrar. Como impedi-lo? 

Alguns gatos querem atenção constante dos donos. Para evitar que o seu acorde você à noite, use o aspirador de pó. Posicione o aparelho, pronto para funcionar, no local onde ele costuma miar. Quando o felino começar a fazer barulho, ligue o equipamento na tomada. O ruído e o vento causarão desconforto no bichano, que abandonará o hábito. Mas, se ele estiver dentro do cômodo pedindo para sair, a dica é usar um spray de água. Toda vez que ele arranhar a porta, dê uma borrifada. Também é importante que você recompense com petiscos sempre que o bicho se comportar direitinho.


Você tem  cão e quer adotar um gato. Como conseguir que eles convivam bem? 

O segredo é aproximá-los aos poucos. Reserve uma área na qual o gato se sinta seguro. No primeiro contato, mantenha o cão na coleira e o felino numa caixa de transporte. Ofereça petiscos aos dois, associando o momento a algo prazeroso. Quando o bichano começar a brincar na presença do cão, é sinal de que relaxou. O próximo passo é soltá-lo. Faça isso com o cachorro na coleira e num cômodo pequeno, o que diminui a chance de uma possível perseguição. Repita o exercício várias vezes e lance mão do borrifador de água para inibir o gato caso ele tente atacar o cão. Se o contrário acontecer, dê um puxão na guia. Quando ambos estiverem confortáveis, alongue a coleira do cão. Só suspenda a supervisão quando a convivência estiver tranquila.

Adriani Gonçalves

fonte : 
Revista Minha Casa 
Alexandre Rossi, zootecnista
 
 




 
 



 


 



 







Pesquisar este blog