quinta-feira, 28 de maio de 2015

Como se Organizar para economizar dinheiro!




1. Registre todas as suas despesas:

Como você pretende controlar suas finanças se você não sabe exatamente o quanto gasta por mês?

Este é o primeiro passo para quem quer começar a fazer seu controle financeiro. 

Para ajudar nesta tarefa, você tem duas opções:


  • . Guardar todas as notinhas do cartão e anotar cada uma das suas despesas em uma planilha de gastos.
  • .Escolher uma ferramenta de controle financeiro.
2. Crie metas para seus gastos:

Agora que você já sabe exatamente qual o seu custo mensal, é necessário criar metas para suas despesas, dividindo-as por categorias:

– 50% da renda para os gastos essenciais: todos aqueles necessários para você se manter no dia-a-dia: moradia, alimentação, transporte, educação, etc.

– 15% da renda para prioridades financeiras: se você estiver endividado, sua prioridade será quitar as dívidas. Se não, poupar para o futuro.

– 35% da renda para estilo de vida: todos os gastos relacionados a hobbies e lazer: academia, salão de beleza, compras no shopping, etc.

3. Despesas para cima, renda para baixo:

Na hora em que estiver criando as metas para seu orçamento, arredonde sempre as despesas para cima e a renda para baixo.

4. Pague suas contas no mesmo dia:

Mude a data de vencimento de todas as suas contas fixas para logo após o dia em que cai o seu salário. Assim fica bem mais fácil se organizar. O dinheiro entra, você já paga tudo o que deve e fica na conta apenas com o dinheiro necessário para passar o mês.


5. Crie prazos para seus objetivos:

  • Você quer quitar suas dívidas? 
  • Até quando? 
  • Quer juntar dinheiro para comprar um carro? 
  • Daqui a quanto tempo? 
  • Quando as metas têm data ficamos mais motivados para cumpri-las no prazo.
6. Fale sobre dinheiro em família:


Se você é casado, o tema finanças deve fazer parte do dia-a-dia do casal. Se tem filhos, o mesmo vale para a família. 

Transparência e sinceridade são os caminhos mais fáceis para conseguir reorganizar as finanças familiares.
7. Busque outras fontes de renda:

Para que ficar dependendo apenas do seu salário, quando você pode distribuir os ovos em várias caixinhas? Já pensou em pegar um trabalho freelancer para fazer à noite ou nos fins de semana? Ou então, que tal transformar um hobby (costurar, pintar, cozinhar) em uma nova fonte de renda?


8. Previna-se se sua renda for variável:

Profissionais autônomos e liberais costumam ter dificuldade em planejar sua renda mensal, que varia bastante. A dica é olhar para os últimos 12 meses e identificar a renda máxima, a mínima, a média e a sazonalidade (os meses em que você costuma ganhar mais e menos).

De preferência, os gastos essenciais para o dia-a-dia devem caber na renda mínima. 

Nos meses em que ganhar acima da média, mande a diferença para a poupança.

Exemplo: renda mínima de R$ 3 mil, renda máxima de R$ 5 mil e renda média de R$ 4 mil. No mês em que você ganhar R$ 4,5 mil, deve enviar R$ 500 para a poupança.



Adriani Gonçalves

fonte Guia Bolso

Pesquisar este blog