sexta-feira, 18 de outubro de 2013

HORÁRIO DE VERÃO!!



Não sei quanto à vocês, mas para mim o horário de verão deveria valer somente a partir das 12h.
Sou uma negação pela manhã,acredito sempre estar dormindo uma hora a menos.
Mas como isso só muda em fevereiro,vou dar dicas de como se adaptar ao novo horário baseado no que especialistas dizem.
Vamos lá!!


O cérebro segue o ritmo do relógio biológico, que está organizado em um ciclo de 24 horas. A mudança desse padrão desregula o sono e o repouso que ele proporciona". A maioria das pessoas, diz, demora entre três e quatro dias para entrar no novo ritmo e, nesse período, os principais sintomas são sonolência, cansaço, irritabilidade e falta de atenção.
Algumas medidas facilitam na transição:


A partir da zero hora deste domingo, 20 de outubro, começa o horário de verão nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Os moradores dessas áreas deverão adiantar o relógio em uma hora, com o objetivo de estimular o aproveitamento da luz natural e, consequentemente, economizar energia. Segundo o Ministério de Minas e Energia, o horário de verão deste ano, que vai até 16 de fevereiro de 2014, reduzirá em cerca de 5% a demanda de energia dos estados participantes. A mudança, porém, pode prejudicar a saúde e o bem-estar daqueles com dificuldades em se acostumar com o novo horário.


A perda de uma hora de sono, roubada pelo período, pode provocar alterações de humor, déficit de atenção, sonolência, dor de cabeça e indisposição. Além disso, o horário de verão pode afetar a produção de hormônios secretados pela glândula pineal, cujo trabalho depende do ciclo solar. Ao amanhecer, por exemplo, essa glândula secreta substâncias que ativam o metabolismo e, à noite, produz hormônios que regulam o sono. 

 

Cochilo O neurologista explica que, para minimizar os efeitos causados pela alteração na rotina, é importante não cair na tentação de cochilar durante o dia e comprometer ainda mais a qualidade do sono. “Se você teve insônia durante uma noite, tenha certeza de que não terá na próxima, pois o organismo cria a necessidade de um acúmulo de sono. Mas, se cochilar, essa necessidade será saciada, então provavelmente não conseguirá dormir outra vez”, afirma.
A dificuldade para se adaptar ao novo ritmo varia de pessoa para pessoa,. 
“O importante é saber quais são os hábitos ou as atividades que lhe ajudam a relaxar”.
 Algumas orientações gerais contribuem para o bem-estar no horário de verão.



Estabeleça uma rotina para o sono

Dormir e acordar sempre no mesmo horário garante o bom funcionamento do relógio biológico e faz com que o organismo se acostume com essa rotina, já que ele passa a entender o momento em que o metabolismo deve ser ativado ou em que o sono deve vir.


No dia da mudança, durma antes do horário habitual

Como o horário de verão 'rouba' uma hora da noite de sono, dormir de 30 minutos a uma hora antes do horário de costume pode ser uma forma de evitar que uma pessoa sinta a hora de sono perdida.


Durma em um ambiente adequado

Quartos escuros, confortáveis, silenciosos e arejados favorecem o sono, já que o barulho que vem da rua ou um quarto cheio de estímulos, por exemplo, podem prejudicar o hábito de dormir.

Faça alguma atividade física durante o dia

A prática de atividade física libera endorfina e aumenta a temperatura do corpo e o metabolismo, que tendem a cair depois de cerca de cinco horas, quando o corpo começa a se sentir sonolento e pronto para dormir. Por isso, ir à academia, caminhar ou mesmo fazer tarefas domésticas até cinco horas antes de dormir ajuda o corpo a relaxar e ajuda pessoas que tem o sono prejudicado com o horário de verão. 
 

Evite atividades estimulantes antes de dormir

Ver filmes violentos, usar o computador, ouvir música em volume muito alto e praticar atividades físicas muito intensas antes de se deitar pode estimular muito o organismo e provocar dificuldade na hora de dormir. Porém, atividades relaxantes, como ouvir uma música calma ou um assistir a um programa de TV tranquilo podem favorecer o sono.


Cafeína

Alimentos com cafeína, como café, chocolate e chás tornam mais difícil que uma pessoa pegue no sono. Quanto mais cafeína alguém consumir, mais difícil será dormir e mais sono sentirá no dia seguinte. Além disso, evite consumir alimentos pesados antes de deitar e não durma de estômago vazio. Mantenha distância do café

 

ADRIANI GONÇALVES
fonteS:

André Jaime, presidente do departamento de clínica médica da Associação Paulista de Medicina; Andrea Sette, clínico geral do Hospital São Luiz; Arnaldo Lichtenstein, clínico geral do  do Hospital das Clínicas; Dalva Poyares, neurologista do Instituto do Sono de São Paulo.
G1


Pesquisar este blog